Proteja-se!

Campanha de vacinação contra gripe termina na próxima semana

A vacinação é realizada em unidades de saúde com sala de vacina, de segunda a sexta, das 8h às 16h
Foto: Márcia Leal/PMCI

Com a proximidade do fim da campanha nacional de vacinação contra a gripe, que vai até o dia 5 de junho, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Cachoeiro alerta para que os públicos-alvo da ação não deixem a imunização para a última hora.

De acordo com a Semus, muitas gestantes e crianças entre 6 meses de vida e menores de 6 anos de idade, que fazem parte do grupo da terceira e última fase da campanha, ainda precisam ser vacinados. Essa etapa também abrange puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, adultos de 55 a 59 anos de idade e professores de escolas públicas e privadas.

“Todos os grupos devem estar atentos ao prazo e buscar, o quanto antes, esse atendimento nas unidades básicas de saúde com salas de vacina. Dessa forma, evitamos eventuais aglomerações decorrentes da corrida aos postos nos últimos dias, o que é muito necessário nesse cenário de pandemia da covid-19”, frisa a secretária municipal de Saúde, Luciara Botelho.

Mais de 45 mil já imunizados

Desde o início da campanha, em 23 de março, cerca de 45 mil pessoas já foram imunizadas. A vacinação acontece nas UBS, de segunda a sexta, das 8h às 16h. Para receber atendimento, é preciso levar a caderneta de vacinas e documento de identificação. Os professores devem apresentar, também, uma declaração de trabalho da instituição.

A primeira fase da campanha foi voltada para idosos e profissionais da saúde; a segunda etapa contemplou pessoas com bronquite, asma, hipertensão, diabetes e outras doenças crônicas e, ainda, profissionais das forças de segurança, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo.

Quem faz parte dos públicos-alvo das fases anteriores e ainda não se imunizou, poderá tomar a dose até o encerramento da campanha.

Imunização é ainda mais importante em tempos de pandemia de covid-19

A vacina da gripe ainda ajuda, indiretamente, no enfrentamento ao novo coronavírus. Isso porque, ao impedir o ataque do vírus influenza, da gripe, a injeção evita uma eventual infecção dupla de gripe e Sars-CoV-2 (vírus causador da covid-19), o que sobrecarregaria o sistema respiratório da pessoa.

A vacinação também ajuda na distinção entre gripe e a covid-19, que têm sintomas parecidos. Se a pessoa que recebeu a dose apresenta sintomas como tosse e falta de ar, provavelmente, não é o influenza o causador.

Além disso, quanto mais pessoas vacinadas, menor o número de pessoas encaminhadas a hospitais por causa da gripe. Isso ajuda o sistema público a reservar leitos para a demanda extra de internações decorrentes do novo coronavírus.