Prevenção

Coronavírus: regras e cuidados preventivos nos transportes público e privado

Determinações estão presentes no decreto 29.414/2020
Foto: Márcia Leal/PMCI

Motoristas e passageiros dos transportes público e privado de Cachoeiro precisam ficar atentos às regras estabelecidas para evitar a transmissão do novo coronavírus (Covid-19).

Elas estão presentes no decreto 29.414/2020, que determina, por exemplo, que os ônibus do transporte coletivo trafeguem com as janelas abertas e apenas com passageiros sentados, além do uso obrigatório de máscara por motoristas e usuários do serviço.

O cumprimento dessas medidas é acompanhado pela Agersa (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos), que autorizou a concessionária de transporte coletivo urbano e distrital do município a negar o embarque de passageiros sem máscara e, também, quando o coletivo atinge a lotação máxima de pessoas sentadas, a fim de que se evite aglomerações.

O órgão ressalta que sua Ouvidora está disponível para receber denúncias sobre descumprimento das regras vigentes. Os canais são os telefones 0800 283 4048, (28) 3511-7077 e (28) 99917-3262 ou os endereços eletrônicos agersa.es.gov.br e ouvidoria@agersa.es.gov.br.

Os passageiros também devem tomar precauções. Ao tocar nas barras de apoio do coletivo, procurem higienizar as mãos com álcool em gel 70% e evitem tocar olhos, boca e nariz. Além disso, é recomendável manter distanciamento de pessoas que estejam espirrando e evitar cumprimentos com contato.

Transporte privado

Já aos profissionais de transporte privado, como motoristas de táxi e de aplicativos, o decreto determina que trafeguem com, no máximo, dois passageiros no banco traseiro, com as janelas abertas, e que disponibilizem produtos de higienização aos clientes.

“Também estamos orientando, por meio da nossa fiscalização, que adotem outras medidas preventivas, como higienizar, frequentemente, partes internas do veículo com álcool 70%, nos locais em que os passageiros colocam as mãos, como maçanetas, acionadores de aberturas e fechamento de janela, cintos de segurança etc”, afirma o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, Jonei Petri.

Outra orientação é não oferecer balas e água para os clientes. Além disso, sempre que possível, negociar o pagamento das corridas por meio de cartões, que devem ser inseridos na máquina pelo passageiro, para evitar o contato.

Para denunciar o descumprimento de regras previstas para táxis e serviços de transporte por aplicativo, está disponível o telefone o 153, do Disk Aglomeração.