Conscientização

Ação educativa no Centro alertou motoristas sobre o uso do cinto de segurança

Atividade uniu a equipe de educação de trânsito da prefeitura e participantes do projeto Mova-se
Foto: Márcia Leal/PMCI

A equipe de educação de trânsito da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Semdurb) de Cachoeiro e representantes do projeto Mova-se uniram-se, na manhã desta segunda-feira (16), na praça Jerônimo Monteiro, para alertar condutores sobre a importância do uso de cinto de segurança.

Eles abordaram os motoristas, durante as paradas no semáforo local, e distribuíram folhetos educativos com orientações, reforçando o uso do item como indispensável para evitar danos severos e, até mesmo, a morte em acidentes.

Enquanto isso, à frente dos veículos, participantes abriam uma grande faixa com dizeres que destacavam uma das possíveis consequências da falta de cinto de segurança: a paraplegia.

O panfleto distribuído também orienta que o motorista avise os passageiros sobre a necessidade deles também usarem o equipamento, além de informar as punições em caso da não utilização – multa grave e 5 pontos na carteira de habilitação.

O material ainda contém um dado impactante: o peso de um passageiro do banco traseiro arremessado em um acidente, por estar sem cinto, pode chegar a 1 tonelada.

Mônica Pitanga, presidente do projeto Mova-se, que é dedicado a ações de acessibilidade e inclusão de pessoas com mobilidade reduzida, comentou sobre a ação educativa: “É um trabalho de conscientização importante. A maioria das pessoas com deficiência que participam do nosso projeto sofreu algum tipo de acidente no trânsito. Geralmente, as pessoas acreditam que não pode acontecer com elas, portanto, estamos fazendo a nossa parte, que é orientar e prevenir”, explica.

O participante do Mova-se, Paulo Ricardo de Oliveira, ficou paraplégico após um acidente de trânsito e hoje participa do movimento com o intuito de dar o exemplo a motoristas imprudentes. “É importante tomar todos os cuidados possíveis no trânsito, principalmente, usar o cinto, porque imprevistos acontecem”, afirmou.

Os motoristas aprovaram a ação. “É fundamental conscientizar os motoristas, é uma forma de nos proteger. Inclusive, vou ficar ainda mais atento ao uso”, afirma Reinaldo Silva Pereira.

“Não usar cinto de segurança está entre as infrações mais cometidas no município, infelizmente. Trabalhamos, arduamente, com ações educativas e de fiscalização para tentar mudar esse quadro, mas essa mudança depende, fundamentalmente, do comportamento de cada condutor, que precisa cumprir a lei”, frisa o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, Jonei Petri.