Inseticida

Aedes aegypti: bairros recebem visita semanal do “moto fumacê”

Entre esta semana e 8 de maio, cada área do município receberá o serviço quatro vezes, sendo uma por semana
Foto: Divulgação/PMCI

Em Cachoeiro, não param as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, chikungunya e zika. Uma das medidas adotadas pela Secretaria Municipal de Saúde é a aplicação espacial de inseticida, a partir do serviço de ‘moto fumacê’, que iniciou, nesta semana, um novo ciclo, que vai até 8 de maio. Todas as regiões do município serão atendidas.

Neste ano, já foram confirmados, em Cachoeiro, 1.276 casos de dengue e 473 de chikungunya. Também foram notificados 26 casos suspeitos de zika. Abelardo Machado, Aeroporto, Boa Vista, Coramara, Gilson Carone, Nova Brasília, Novo Parque e Rui Pinto Bandeira estão entre os bairros com alto índice de notificações.  

O moto fumacê faz aplicações das 5h às 8h30 e das 17h às 21h30. Nesse ciclo, cada área receberá o serviço quatro vezes, sendo uma por semana.

Para um melhor resultado, a Semus orienta aos moradores que abram as janelas e portas dos imóveis, no momento que os veículos estiverem passando.

Agentes de combate a endemias também percorrem bairros

O trabalho preventivo contra o Aedes aegypti também tem sido realizado, diariamente, pelos agentes de combate a endemias, que percorrem os bairros, com ações de eliminação de focos do inseto e trabalho orientativo à população.

Além disso, as localidades em que é alto o número de notificações de dengue, zika e chikungunya têm recebido a visita da equipe faz aplicação de inseticida com bomba costal motorizada, que consegue acessar locais onde os mosquitos estejam em repouso e não são alcançados pela fumaça das motos.

A Semus ressalta a importância do trabalho dos agentes de combate a endemias na eliminação de possíveis focos de mosquitos. Por isso, incentiva que a população receba o profissional em suas residências, para verificação da área externa e de possível receptáculos do inseto. Isso porque, de acordo com a Vigilância Ambiental do município, 76% dos focos do mosquito Aedes aegypti encontrados pelos agentes, recentemente, estavam em residências.

Agentes fazem aplicação de inseticida com bomba costal motorizada

Moradores devem reforçar os cuidados preventivos

Além dos serviços da moto fumacê e das visitas dos agentes, a Semus ressalta a importância de cuidados primários no combate ao inseto vetor, que podem ser colocados em dia, em casa, no período de isolamento social ocasionado pela pandemia do novo coronavírus.

Uma das principais ações é a eliminação de tudo que possa servir de recipientes para a reprodução do mosquito, que pode acontecer em água parada, tanto limpa quanto suja. Além disso, também é preciso cobrir caixas d’água e fechar ralos pouco utilizados com plástico ou, duas vezes por semana, jogar água sanitária nesses espaços.

Outras medidas são: manter as calhas limpas, colocar garrafas de vidro vazias sempre viradas de cabeça para baixo e deixar as lixeiras bem tampadas. Também é necessário descartar, corretamente, copos plásticos, embalagens, garrafas pet, tampinhas, sacolas plásticas e latas, para que não se tornem criadouros do Aedes aegypti.

“As doenças causadas pelo Aedes aegypti são tão perigosas quanto o coronavírus, por isso, temos intensificado os trabalhos combativos e incentivamos a população para prosseguir nessa luta também”, ressalta a secretária de Saúde de Cachoeiro, Luciara Botelho.

Confira as localidades que serão visitadas pela “moto fumacê“: