Covid-19

Agendamento on-line de vacina para pessoas com comorbidades nesta terça (11)

Procedimento é direcionado a pessoas de 50 a 59 anos, levando em conta a lista de comorbidades do Plano Nacional
Foto: Márcia Leal/PMCI

Pessoas de 50 a 59 anos, com comorbidades pré-determinadas no Plano Nacional de Operacionalização (PNO) da Vacinação contra a Covid-19 (veja quais são no quadro abaixo), deverão agendar, nesta terça (11) e quarta-feira (12), a partir das 08h, a aplicação da primeira dose da vacina. O agendamento acontecerá pela internet.

No total, haverá 2.720 doses disponíveis da vacina Covishield/Fiocruz (Oxford/AstraZeneca). A aplicação das vacinas ocorrerá quinta (13) e sexta-feira (14).

Para marcar a vacinação, será preciso entrar no site www.cachoeiro.es.gov.br/vacinacovid19 e fazer um cadastro com informações básicas. Durante o agendamento, o usuário terá que escolher uma de 16 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e o dia para se vacinar, dentre os disponíveis – o horário aparecerá automaticamente.

Ao final do procedimento, será emitido um comprovante, que deverá ser mostrado no momento da vacinação – seja impresso, por foto de celular, print de tela etc.

Os demais documentos exigidos na hora de se vacinar são: documento de identidade com foto; cartão de vacina; cartão do SUS ou CPF; e laudo médico (de 2018 em diante) que comprove a comorbidade prevista no PNO.

“Estamos avançando na campanha, utilizando diversas estratégias, de acordo com a quantidade de doses disponíveis – sempre seguindo o que foi estabelecido a respeito de comorbidades pela Comissão Intergestora Bipartite do Sistema Único de Saúde no Espírito Santo (CIB/SUS-ES).

Lista de comorbidades com base no PNO

GRUPO DE COMORBIDADESDESCRIÇÃO
Diabetes mellitusQualquer indivíduo com diabetes.
Pneumopatias crônicas graves Indivíduos com pneumopatias graves, incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave (uso recorrente de corticoides sistêmicos, internação prévia por crise asmática).
Hipertensão Arterial Resistente (HAR) HAR= quando a pressão arterial (PA) permanece acima das metas recomendadas com o uso de três ou mais anti-hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas preconizadas e toleradas, administradas com frequência, dosagem apropriada e comprovada adesão ou PA controlada em uso de quatro ou mais fármacos anti-hipertensivos.
Hipertensão arterial estágio 3PA sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg, independente da presença de lesão em órgão-alvo (LOA) ou comorbidade.
Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidadePA sistólica entre 140 e 179mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109mmHg na presença de lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade.
DOENÇAS CARDIOVASCULARES
Insuficiência cardíaca (IC);   Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar;   Cardiopatia hipertensiva; Síndromes coronarianas;   Valvopatias;      Miocardiopatias e PericardiopatiasIC com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York Heart Association. Cor-pulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária.  Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-alvo). Síndromes coronarianas crônicas (Angina Pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós Infarto Agudo do Miocárdio, outras). Lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico (estenose ou insuficiência aórtica; estenose ou insuficiência mitral; estenose ou insuficiência pulmonar; estenose ou insuficiência tricúspide, e outras). Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; cardiopatia reumática.
Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas; Arritmias cardíacas;  Cardiopatias congênitas no adulto;   Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados Aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos. Arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia associada (fibrilação e flutter atriais; e outras). Cardiopatias congênitas com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento miocárdico.  Portadores de próteses valvares biológicas ou mecânicas; dispositivos cardíacos implantados (marca-passos, cardio desfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência).
Doença cerebrovascularAcidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular.
Doença renal crônicaDoença renal crônica estágio 3 ou mais (taxa de filtração glomerular < 60 ml/min/1,73 m2) e/ou síndrome nefrótica.
ImunossuprimidosIndivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida; demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos 6 meses; neoplasias hematológicas.
Hemoglobinopatias gravesDoença falciforme e talassemia maior.
Cirrose hepáticaCirrose hepática Child-Pugh A, B ou C.

Estratégias para outras comorbidades

– Pessoas de 18 a 59 anos com Síndrome de Down ou deficiência intelectual/mental (autismo, paralisia cerebral ou outras síndromes que desencadeiam a deficiência intelectual/mental) estão sendo vacinadas nas instituições em são atendidas. Para as que não têm vínculos com instituições, é necessário ir até a Unidade Básica de Saúde mais próxima de casa.

– Pessoas de 18 a 59 anos com fibrose cística ou obesidade mórbida – Índice de Massa Corpórea (IMC) igual ou maior do que 40 – também podem procurar a UBS mais próxima da residência para se vacinarem. Será preciso comprovar a condição de saúde com laudo médico. No caso das pessoas com obesidade mórbida, se a pessoa não tiver laudo, um profissional de enfermagem da UBS fará o cálculo na hora.

– Para pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise), a Semus está organizando a vacinação in loco, nos hospitais em que são atendidas.

– Para vacinar pessoas com deficiência permanente, de 55 a 59 anos, cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC), será considerado o cadastro do programa e levantamento junto à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes).