Plano de manejo

Audiência pública apresentou estudos sobre revisão dos limites do Itabira

Evento ocorreu na terça-feira (14), no auditório da escola Zilma Coelho Pinto
Foto: Márcia Leal/PMCI

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) de Cachoeiro realizou, na noite da última terça-feira (14), uma audiência pública para apresentar os estudos técnicos para adequação dos limites da Unidade de Conservação e Zona de Amortecimento do Monumento Natural do Itabira (Monai).

O evento, que foi realizado no auditório da Escola Municipal “Zilma Coelho Pinto”, contou com a participação representantes do poder público e da sociedade civil.

O estudo teve como objetivo identificar a localização, a dimensão e os limites mais adequados, do ponto de vista biofísico e socioeconômico, para o Monai e sua Zona de Amortecimento, tendo como fundamento dados técnicos e científicos obtidos a respeito da área onde se planeja ajustar os limites da unidade de conservação e, também, dados acumulados durante ações de campo das equipes de pesquisa.

De acordo com relatório apresentado, a região do Itabira reúne uma rica biodiversidade de fauna e flora, incluindo organismos de interesse de conservação. Nesse sentido, a partir da adequação dos limites do Monai, será possível aumentar o tamanho dos fragmentos florestais de Mata Atlântica, iniciativa de grande importância para a manutenção de espécies residentes no local.

Além disso, o estudo destacou o Pico do Itabira como símbolo cultural do município, que, cercado por outros afloramentos rochosos, formam uma paisagem com extrema beleza cênica, com grande potencial de geoturismo, abundante em recursos hídricos.

Outros fatores considerados para a proposta dos novos limites do monumento são a expansão urbana, avanço da atividade agrícola e turismo desordenado e o gerenciamento inadequado de água, resíduos e esgoto.

Nesse sentido, o documento propõe uma futura orientação, junto aos moradores da região, quanto ao uso dos recursos da natureza existentes no território, que ocorrerá após a definição das normas que irão nortear os limites da Unidade de Conservação e Zona de Amortecimento.

“É muito importante que o poder público e a sociedade atuem, juntos, na preservação da Unidade de Conservação do Itabira. Acredito que a participação popular é essencial para o sucesso da construção do plano de manejo, que objetiva a preservação desse monumento tão significativo para o município de Cachoeiro”, afirmou Wagner Vasconcellos, Promotor da 14ª Vara Cível e Promotoria do Meio Ambiente.

Durante o encontro, foi aberto um espaço de diálogo com os cidadãos presentes, que puderam direcionar perguntas e dar sugestões aos profissionais da empresa responsável pelo relatório e, também, à equipe da Semma.

“O fato de ser morador da comunidade do Itabira há mais de uma década me
permitiu contribuir com a identificação física da área, fornecendo e direcionando os profissionais que fizeram o estudo a diversos pontos da localidade. Faço menção e agradeço a cada morador que se dispôs a receber em suas propriedades a equipe responsável, relatando suas histórias e experiências do local que em muito agregaram ao estudo que está sendo realizado”, comentou Hugo Tanure, morador da região e conselheiro do Monai.

“É importante salientar que os limites apresentados não são definitivos, pois ainda serão necessárias outras etapas para a consolidação do trabalho de adequação da Unidade de Conservação e Zona de Amortecimento do Monai”, explicou a secretária municipal de Meio Ambiente de Cachoeiro, Luana Fonseca.

Entre os próximos passos que serão executados, após os concluídos os estudos técnicos, a secretária destacou, ainda, a importância da participação da sociedade na elaboração do plano, de modo que seja possível que a população de Cachoeiro de Itapemirim e demais atores sociais possam participar, ativamente, do processo, ao sugerir aprimoramentos ao projeto.

“A participação social é muito importante na elaboração do plano de manejo do Monai, pois o mesmo será construído levando em consideração, também, os impactos aos moradores da região”, finalizou.

O relatório completo dos estudos técnicos apresentados, contendo os limites propostos e demais dados sobre o plano de manejo e adequação dos limites da Unidade de Conservação do Itabira, podem ser acessados na página da Semma no site oficial da Prefeitura de Cachoeiro (www.cachoeiro.es.gov.br/meio-ambiente-semma).