37ª colocação

Cachoeiro avança 22 posições no ranking nacional de cidades inteligentes

São avaliados indicadores relativos a inteligência, conexão e sustentabilidade dos municípios brasileiros
Foto: Divulgação/PMCI

Cachoeiro de Itapemirim foi, mais uma vez, destaque no Connected Smart Cities, ranking anual criado com o objetivo de mapear as 100 cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil, por meio de indicadores que retratam inteligência, conexão e sustentabilidade.

Na avaliação geral, Cachoeiro subiu 22 posições em comparação ao ano de 2021, sendo classificada como a 37ª cidade mais inteligente do país. Na região Sudeste, ficou em 20º lugar e, no Espírito Santo, em 3º.

No recorte “Urbanismo”, uma das dimensões avaliadas, o município alcançou seu melhor resultado, ficando na 11ª posição no país. Nesse quesito, são avaliados indicadores relativos ao planejamento urbano.

Para o secretário municipal de Urbanismo, Mobilidade e Cidade Inteligente, Alexandro da Vitória, um dos fatores que contribuíram para esse expressivo resultado foi o novo Plano Diretor Municipal (PDM), que entrou em vigor em dezembro de 2021.

“O novo PDM passou a abranger, pela primeira vez, toda a extensão territorial de Cachoeiro, que foi totalmente mapeado a partir das necessidades e potencialidades de cada região, para que a gestão municipal possa desenvolver mecanismos que estimulem o desenvolvimento sustentável da sede e interior do município”, destaca.

Em outros recortes avaliados, Cachoeiro também conquistou bons resultados: em Tecnologia e Inovação (43ª), Saúde (43ª), Educação (49ª), Governança (58ª) e Meio Ambiente (64ª).

“Este é o terceiro ano consecutivo de ascensão no Connected Smart Cities. Isso é fruto de uma gestão municipal integrada, que coloca o cidadão como prioridade na construção de uma cidade mais inteligente, moderna e humana”, destaca o prefeito de Cachoeiro, Victor Coelho.

Conceito de cidades inteligentes

O conceito de cidades inteligentes da Urban Systems compreende que o desenvolvimento se dá pela conectividade entre os diversos setores. Exemplo disso é a consciência de que investimentos em saneamento estão atrelados tanto aos ganhos ambientais, quanto à saúde, que irão, a longo prazo, contribuir para reduzir a necessidade de investimentos nessa área (atendimentos de saúde básica). Consequentemente, isso gerará ganhos em questões de governança e, até mesmo, de economia.

Os dados do ranking Connected Smart Cities 2022 podem ser conferidos no site www.urbansystems.com.br.