Apadrinhamento afetivo

Candidatos a padrinhos de crianças acolhidas em instituições participam de capacitação

Projeto conta com as modalidades de Padrinho Afetivo, Provedor e Prestador de Serviços
Foto: Divulgação

A implantação do projeto de Apadrinhamento “Construindo laços de afeto e cuidado” segue avançando em Cachoeiro. Agora, a fase é de capacitação das pessoas que se cadastraram para apadrinhar crianças e adolescentes das instituições de acolhimento do município.

Nesta quinta (24) e no próximo dia 31, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes) vai orientar candidatos em encontros e rodas de conversas sobre o funcionamento do projeto. Nos dois dias, as atividades serão realizadas às 18h30, na sede da secretaria, na Ilha da Luz.

De acordo com a Semdes, ainda é possível fazer o cadastro para participar desse primeiro ciclo de capacitações. Basta se inscrever na sede da secretaria até quinta (24). Quem se candidatar depois dessa data terá de esperar os próximos encontros.

Para se candidatar a padrinho, é preciso ser maior de idade; ter residência fixa no município de Cachoeiro; apresentar disponibilidade para participar, efetivamente, da vida do afilhado, bem como das reuniões e oficinas com a equipe do projeto; permitir visitas técnicas em sua residência; e concordar com as normas estabelecidas pela proposta do apadrinhamento e instituição de acolhimento.

Na Semdes, que funciona de segunda a sexta, das 9h às 18h, o interessado pode conhecer melhor as modalidades de apadrinhamento (afetivo, provedor ou prestador de serviços), as etapas do projeto e as documentações necessárias para participar.

As etapas seguintes à capacitação dos cadastrados são as visitas técnicas às casas dos candidatos, a análise de documentação apresentada e a produção de relatório para avaliação do Ministério Público, que emitirá parecer. Após isso, os pretendentes poderão iniciar, efetivamente, as atividades de apadrinhamento.

“Muitas pessoas nos procuraram querendo participar. Ficamos satisfeitos em perceber a força desse projeto, que tem o objetivo de incentivar pessoas, famílias e empresas a contribuírem para o desenvolvimento dos acolhidos, por meio de convívio e experiências familiares, ou com apoio material. Queremos oferecer à criança e ao adolescente acolhidos vínculos externos à instituição em que são atendidos”, disse a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Maria Aparecida Stulzer, destacando que o projeto de Apadrinhamento “Construindo laços de afeto e cuidado” é regido pela lei Nº 7746, sancionada pelo prefeito Victor Coelho nesta semana.

Modalidades de apadrinhamento

Padrinho Afetivo: é aquele fará visitas regulares ao acolhido, buscando-o para passar finais de semana, feriados ou férias escolares em sua companhia, proporcionando convivência sociofamiliar que produzam experiências gratificantes;

Padrinho Provedor: que dará suporte material ou financeiro à criança ou ao adolescente, seja com a doação de materiais escolares, vestuário, brinquedos, seja com o patrocínio de cursos profissionalizantes, reforço escolar, prática esportiva, idiomas ou contribuição financeira para alguma demanda específica do acolhido;

Padrinho Prestador de Serviços: profissional ou empresa que, por meio de ações de responsabilidade social junto às instituições, se cadastre para atender às crianças e aos adolescentes participantes do projeto, conforme sua especialidade de trabalho ou habilidade, apresentando um plano de atividades.

Últimas notícias