Centro Cultural Nelson Sylvan recebe melhorias

Iniciativa é da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo

O Centro Cultural Nelson Sylvan, que funciona no prédio do Centro Operário e de Proteção Mútua, localizado na rua 25 de março, próximo à Casa dos Braga, está recebendo melhorias na estrutura.

A iniciativa é da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Semcult), para que o espaço ofereça melhores condições para sediar atividades dos artistas cachoeirenses e oficinas culturais do projeto Novos Talentos, desenvolvido pela pasta.

Os serviços começaram em julho e incluem pintura interna, substituição de pisos e intervenções para melhorar a acessibilidade, como construção de rampa na entrada para melhorar a acessibilidade e também de um banheiro para pessoas com deficiência.

Na área externa, serão construídos dois banheiros, área de convivência com cozinha e uma varanda para receber encontros, reuniões e oficinas ao ar livre. Também serão feitas adequações na rede elétrica.

“No Centro Cultural Nelson Sylvan, movimentamos uma média de 280 pessoas por semana, entre alunos das oficinas do projeto Novos Talentos, reuniões de grupos e associações culturais, ensaios e encontros diversos relacionados à cultura. Essa reforma está sendo realizada com intuito de cuidar e preservar nosso patrimônio, para que o ambiente esteja sempre pronto para receber atividades culturais e visitas”, explica o subsecretário de Cultura e Turismo, Lucimar Costa.

Melhorias em outros prédios históricos

As melhorias no Centro Cultural Nelson Sylvan fazem parte de uma série de investimentos em prédio históricos da cidade. Em junho, a prefeitura concluiu a reforma da Casa da Memória, imóvel da década de 1920, também localizado no Centro, reabrindo a Biblioteca Pública Municipal “Major Walter dos Santos Paiva”.

Outro patrimônio de Cachoeiro que recebeu melhorias foi o Palácio Bernardino Monteiro, sede da prefeitura. O prédio centenário teve a fachada revitalizada com reparos e pintura, no fim do ano passado. Agora, prefeitura e governo estadual planejam restaurá-lo por completo e transformá-lo em centro cultural.

Também no ano passado, o Museu Ferroviário Domingos Lage, imóvel de 115 anos, ganhou repintura nas partes interna e externa, reparos no banheiro e no forro.

Em 2017, o município reabriu a Casa dos Braga – restaurada pelo governo estadual – com acervo e exposições voltadas à preservação da memória da família Braga, cujos membros mais conhecidos são os escritores Rubem Braga (1913-1990) e Newton Braga (1911-1962).