Diagnóstico da demanda

Covid: cadastro on-line para profissionais de saúde não vacinados é reaberto

Devem se cadastrar os que não tomaram a primeira dose da vacina
Foto: Márcia Leal/PMCI

A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Cachoeiro de Itapemirim reabriu, nesta segunda-feira (24), o cadastro on-line para profissionais e trabalhadores área de saúde que ainda não receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

O objetivo é atualizar o diagnóstico da demanda desse grupo prioritário para pleitear, junto ao governo estadual, o envio de mais vacinas ao município.

O cadastramento será realizado até sábado (29), por meio do site www.cachoeiro.es.gov.br/cad-saude. No espaço, o profissional deverá fazer o preenchimento dos dados solicitados, como nome completo, e-mail, CPF, telefones de contatos e função que exerce.

Depois de se cadastrar, o trabalhador deve aguardar o contato da Semus para agendamento da vacinação, que ocorrerá de acordo com a disponibilidade de doses para esse público.

Quando chegar o momento da imunização, os profissionais cadastrados, para serem vacinados, deverão levar um dos seguintes documentos que comprovem a atividade na área da saúde: crachá e declaração do serviço de saúde; contracheque; contrato de trabalho; carteira de trabalho; carteira do conselho da categoria mais declaração do serviço onde atua ou alvará de funcionamento ou declaração do Imposto de Renda, para os profissionais autônomos. Também devem apresentar CPF ou cartão do SUS.

Na primeira vez que o cadastro on-line foi aberto, entre os dias 10 e 24 de abril, quase mil trabalhadores se cadastraram. 

“Conseguimos vacinar muitos profissionais dessa primeira lista, mas houve casos em que a pessoa não compareceu quando convocada ou não apresentou a documentação para comprovar a sua atividade. Por isso, reforçamos que só deve se cadastrar quem realmente se enquadra nesse grupo prioritário e ainda não recebeu a primeira dose da vacina. Estamos empenhados em obter mais vacinas para ampliar a cobertura vacinal, e esse cadastro é um instrumento importante para isso”, explica o secretário municipal de Saúde, Alex Wingler.