Modelo híbrido

Escolas municipais de tempo integral de Cachoeiro retomam aulas presenciais

Duas unidades deram início ao novo formato pedagógico neste ano
Foto: Márcia Leal/PMCI

Nesta semana, as turmas de 4º e 5º ano do ensino fundamental das escolas municipais de Cachoeiro voltaram a ter aulas presenciais, a partir da implantação do ensino híbrido. Entre elas estão as quatro unidades da cidade que funcionam com o modelo de tempo integral: “Prof. Florisbelo Neves”, no bairro Novo Parque, “Prof. José Paineiras Filho”, no Costa e Silva, “Julieta Deps Tallon”, do bairro Zumbi, e “Profº Athayr Cagnin”, do Abelardo Machado.

No total, 340 crianças estão matriculadas nas turmas de 4º e 5º ano dessas escolas, 260 delas dentro do modelo híbrido. No caso das unidades “Prof. Florisbelo Neves” e “Prof. José Paineiras Filho”, o ensino em tempo integral está sendo implantado neste ano letivo.

“Depois de tanto tempo sem esse contato presencial com os estudantes, foi muito emocionante, tanto para nós, como profissionais da educação, quanto para nossos alunos e famílias. Dava pra perceber a alegria no olhar deles ao entrar novamente no ambiente escolar. O grande desafio é a permanência dos estudantes durante todo o dia no ambiente escolar, sem ser possível o contato físico e coletivo. Precisamos nos reinventar, mas a transição está sendo bem tranquila e aceita pela comunidade escolar”, afirma a gestora da Prof. Florisbelo Neves, Flávia Sabino.

Nas escolas de tempo integral, o modelo pedagógico adotado é o da Escola da Escolha, no qual os estudantes são atendidos das 7h30 às 16h30. Nessa jornada estendida, eles têm a oportunidade de aprender com matérias do currículo convencional e com disciplinas eletivas, centradas no protagonismo e no projeto de vida dos alunos. As atividades acontecem tanto na sala de aula, quanto em espaços como ateliê criativo, brinquedoteca e biblioteca.

Em fevereiro, os profissionais da educação que atuam nas escolas de tempo integral participaram de atividades de formação promovidas pela Secretaria Municipal de Educação (Seme) e pela entidade ES em Ação, de Vitória, com a qual a Seme firmou um acordo de cooperação para a implantação do modelo da Escola da Escolha.

“No primeiro dia, fizemos ações de acolhimento dos estudantes e também dos familiares. Nossa única turma de 5º ano foi divida em dois grupos, e os pais estão compreendendo bem. As crianças chegaram com bastante conhecimento sobre os cuidados que precisam tomar, e estamos adotando todas as medidas sanitárias. As rodas de conversa, por exemplo, são realizadas na quadra, com distanciamento social”, relata a gestora da escola “Prof. José Paineiras Filho”, Marcelly Rizzo.

Modelo híbrido

Mais de 70% dos estudantes da rede municipal de ensino aderiram ao modelo híbrido, iniciado neste ano letivo, no qual eles revezam uma semana assistindo às aulas de forma remota e outra presencialmente. A adesão, que não é obrigatória, poderá ser feita pelos pais e responsáveis em qualquer período.

O retorno às atividades presenciais acontece gradualmente, tendo sido contempladas, até o momento as turmas de 4º ao 9º ano do ensino fundamental. A volta das demais turmas acontecerá da seguinte forma: em 22 de março, as turmas de 1º, 2º e 3º ano do ensino fundamental; em 5 de abril, as turmas da pré-escola (Pré I e Pré II) da educação infantil; em 19 de abril, as turmas de maternal III e IV da educação infantil; em 3 de maio, as turmas de maternal I e II da educação infantil.

Para a garantir a segurança sanitária em meio à pandemia, a Seme adota uma série de medidas, incluindo controle de ocupação dos espaços de cada unidade, uso obrigatório de máscara, disponibilização de materiais de higiene, colocação de tapetes sanitizantes e medição de temperatura na entrada.

“Estamos seguindo todos os protocolos de saúde à risca. É um momento desafiador, de adaptação a um novo cenário, e nós buscamos fornecer todos os subsídios necessários a uma educação de qualidade e com segurança”, destaca a secretária municipal de Educação, Cristina Lens.