Alerta

Festas de fim de ano: famílias precisam redobrar cuidados contra a Covid-19

Neste ano, o mais indicado é evitar qualquer reunião que envolva aglomeração de pessoas
Foto: Márcia Leal/PMCI

Perto de ser finalizado, 2020 trouxe desafios e mudanças impactantes para o mundo, em especial, devido à crise sanitária causada pela Covid-19. Justamente por causa dessa situação, ainda não superada, é que a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Cachoeiro de Itapemirim reforça que os cuidados relacionados à doença precisam ser reforçados pelas famílias que vão se reunir para comemorar a virada de ano.

O número de infecções ainda é muito alto e, para os especialistas, a recomendação é para que sejam evitadas quaisquer reuniões que contribuam para a aglomeração de pessoas. No entanto, casos as famílias queiram se reunir, a atenção deverá ser redobrada.

“É normal que, nesta época do ano, as pessoas queiram estar próximas de quem amam; viajar e descansar, especialmente, depois de um ano tão difícil. Nós entendemos o quanto 2020 foi cansativo, pois, por causa da pandemia, tivemos de enfrentar outros inúmeros problemas. Porém, é imprescindível relembrar que ainda não vencemos a batalha. A Covid-19 continua vitimando pessoas e precisamos continuar levando-a a sério. É muito importante que as pessoas entendam isso e se esforcem para se cuidar da melhor maneira possível”, salienta a secretária municipal de Saúde em exercício, Alexandra da Penha Araújo Cruz.

Confira as principais orientações:

– Locais abertos e arejados: se houver uma reunião familiar, escolha fazê-la em local aberto e com circulação do ar. Além disso, mantenha as cadeiras distanciadas e evite contato físico, como abraços e beijos.

– Reduza a quantidade de pessoas: embora a indicação dos infectologistas seja de que as interações continuem sendo virtuais, as famílias que optarem por se reunir devem, ao menos, reduzir, significativamente, o número de pessoas, em especial, se o local da confraternização for pequeno.

– Use máscaras: a utilização da máscara é indispensável e ela só deve ser retirada na hora da alimentação; o item reduz a contaminação, desde que todos estejam utilizando de forma correta – cobrindo boca e nariz.

– Higienização das mãos: lave frequentemente as mãos, com água e sabão; se não tiver, use álcool em gel 70%.

– Atenção aos utensílios: é extremamente importante que não haja compartilhamento de utensílios, como talhares, pratos e copos.

– Pessoas dos grupos de risco e sintomáticos: pessoas que compõem os grupos de risco (acima de 65 anos, gestantes, asmáticos, fumantes, hipertensos e diabéticos) não devem comparecer às festas. Aqueles que estiverem com qualquer sintoma da doença, por mais leve que seja, também não podem participar. Lembrando que os principais sinais são: dor de garganta, coriza, tosse, febre, dor muscular e, em algumas ocasiões, perda do paladar e olfato;

– Se puder, evite viagens, seja de avião, de ônibus ou de outros meios. Caso não seja possível, fique atento às orientações sanitárias tanto nos veículos quanto nos locais de embarque e desembarque. Sempre que possível, busque higienizar as mãos com álcool em gel, durante o trajeto.

– Procure apurar como está a situação da doença no local para aonde pretende viajar, se há aumento do número de casos e se os hospitais estão sobrecarregados com os contaminados.

– Se for receber alguém de fora ou for pernoitar em outro lugar, procure utilizar máscara enquanto estiver na casa e tente manter o distanciamento social. Além disso, melhore a ventilação da residência com a abertura das janelas.