Guarda tem treinamento com armas não letais em Cachoeiro

Aulas orientam uso de instrumentos de menor potencial ofensivo

Em Cachoeiro, os agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) vêm ganhando mais conhecimento sobre os disparos não letais, como o uso de balas especiais e da arma que emite pulso elétrico. A disciplina teve reforço nesta semana, dentro do curso que vem sendo promovido por meio de parceria entre a prefeitura e a Polícia Civil.

Coordenado pela Academia de Polícia Civil (Acadepol), o curso inclui o treinamento de tiro com arma de fogo, e sua conclusão é um dos requisitos para que os agentes voltem a usar o armamento em serviço.

A disciplina Equipamentos Não Letais é ministrada por Dilson Vicente Nunes e Carlos Malvino Pereira Lyra, instrutores da Acadepol, e tem 20 horas-aula, que orientam sobre instrumentos de menor potencial ofensivo.

“A capacitação dos agentes é fundamental para que possam desenvolver formas ainda mais integradas de atendimento ao cidadão, minimizando riscos e lesões. Quando o guarda municipal tem a opção de uso desses equipamentos de modo mais pró-ativo, a sociedade compreende ainda melhor o amplo papel da corporação na segurança pública”, explica Nunes.

Vem sendo muito usada nas aulas a Spark, que emite pulsos elétricos. Ela se parece com uma pistola e pode tanto ter contato direto com o corpo do suspeito ou disparar dois pequenos dardos ligados a ela por fiação. A descarga é de cinco segundos e atua sobre o sistema neuromuscular, causando desorientação, fortes contrações musculares e queda do possível agressor, por exemplo, permitindo a incapacitação temporária.

Aula prática com bala especial

Os agentes da GCM terão ainda, neste fim de semana, instrução sobre disparo de bala de borracha, com a espingarda calibre 12, no Clube de Tiro de Cachoeiro. É a última etapa de uma sequência de disciplinas para uso progressivo da força em abordagens. Durante esta semana, o curso promoveu, ainda, aulas de defesa pessoal, patrulhamento escolar e legislação de trânsito.

O subsecretário municipal de Segurança, Athos Alves, reafirma a importância das aulas para a melhor relação de confiança entre a Guarda e a comunidade. “Ter a opção do equipamento não letal, tendo em mente o uso progressivo da força, oferece a chance de uma abordagem mais segura, para o agente, o suspeito e a população, com risco menor. O guarda se qualifica, aprende mais, e isso ajuda no processo de confiança junto à população”, disse.

Emissão do porte de armas

Iniciado no mês passado, o curso tem carga horária de 550 horas, somando aulas teóricas e práticas, e deve ser concluído em maio. Paralelamente, a Secretaria Municipal de Segurança e Trânsito iniciou procedimentos para firmar convênio com a Polícia Federal, visando a emissão dos portes de arma de fogo para os agentes da GCM. Assim, serão cumpridas as exigências legais para que o guardas voltem a portar armas de fogo.