21 de janeiro

Lideranças gravam vídeo para o Dia de Combate à Intolerância Religiosa

A Prefeitura de Cachoeiro vai publicar nos seus perfis em redes sociais, nesta quinta-feira (21), um vídeo alusivo ao Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. No material, representantes de diferentes religiões expõem seus pontos de vista sobre a necessidade de se garantir respeito a todas as crenças e de se combater o preconceito.

A iniciativa é da Subsecretaria de Cidadania, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes).

“Uma das missões da nossa subsecretaria é dar ênfase às datas ligadas aos direitos humanos. Nossa intenção, com o vídeo, é fazer com que as pessoas entendam que todo tipo de religião merece respeito. Essa é uma data para a sociedade refletir: vivemos em um país em que todos podem expressar a sua fé e devem ser respeitados por isso. Precisamos de menos intolerância e mais respeito”, afirma o subsecretário de Cidadania, José Carlos Gualberto.

“Com a impossibilidade de realização de ações e eventos presenciais para marcar a data, devido às restrições impostas pela pandemia, usaremos as redes sociais para fazer chegar ao maior número possível de pessoas essa mensagem de respeito à liberdade religiosa e de diálogo entre as diferentes crenças”, frisa a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Márcia Bezerra.

O vídeo poderá ser conferido nos perfis da Prefeitura de Cachoeiro no Facebook (www.facebook.com/prefcachoeiro) e no Instagram (@prefcachoeiro).

Denúncia

A Subsecretaria de Cidadania lembra que uma das ferramentas da luta contra a intolerância religiosa é a denúncia, que pode ser feita por meio do Disque 100 (ou Disque Direitos Humanos) e www.gov.br/mdh, ambos canais do governo federal. Crimes associados a essa prática, como injúria racial, ultraje a culto e racismo, podem ser denunciados em delegacias.

Confira trechos dos depoimentos dos líderes religiosos:

“[…] A teologia do pluralismo religioso diz o seguinte: Deus quer a pluralidade das religiões. […] Todas as religiões trazem um traço da revelação de Deus, por isso são bem-vindas e colaboram para que, cada vez mais, a gente chegue em um panorama mais completo do rosto de Deus.”

Pe Rogério Bebber – Diocese de Cachoeiro

“O fato de não crermos nas mesmas coisas e acreditarmos, do mesmo modo, em tudo, não significa que somos inimigos, porém, que somos pessoas que estão em busca da verdade, a busca de Deus. Por isso, precisamos aprender o significado da palavra respeito e as implicações que isso traz para nós, que buscam, na religião, a resposta para os dilemas da vida. Assim, cremos nós que podemos viver em paz e com respeito, a despeito das nossas diferenças.

Pr. Gladston Cunha – 1ª Igreja Presbiteriana de Cachoeiro

“[…] o Cristo, ao reduzir todas as leis em somente duas, nos disse que deveríamos amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. Ele não nos disse que o próximo deveria ser aquele que pensa ou age como nós. Nesse instante de reflexão sobre tolerância religiosa, foquemos naquilo que nos aproxima, no que nos leva à conversão e ao caminho do ensinamento maior de Cristo, que é a Lei do Amor.”

Celmo de Freitas – Presidente do Centro Espírita Jeronymo Ribeiro

“[…] Pedimos aos líderes religiosos, que estão à frente dos seus templos, que unam a sua fé a outras religiões e crenças. O amor, a fé e o respeito, porque foi assim que Deus nos ensinou, a amar uns aos outros, como a ti mesmo. Que esse dia seja um dia de reflexão, paz e união.”

Baba Geovane de Oxalá – Ilê Axé Opô Elemoso, no bairro Novo Parque (Candomblé)

“Falar de umbanda é falar de resistência, de amor, empatia, voltada a Deus, como um ser único e supremo, voltado à relação de um filho de fé, juntamente com seus orixás e seus guias. Umbanda é paz e amor, é a força que nos conduz no nosso dia a dia.”

Rodrigo Santos Fernandes Cardoso – Terreiro São Jorge, do bairro Nossa Senhora da Penha