Balanço

Maior enchente da história de Cachoeiro completa seis meses

Prefeitura continua desenvolvendo ações para a recuperação do município, que atualmente também enfrenta pandemia
Foto: Divulgação/PMCI

No dia 25 de janeiro de 2020, o rio Itapemirim transbordou e suas águas alcançaram um nível nunca antes registrado em Cachoeiro, invadindo casas, estabelecimentos comerciais, imóveis históricos e equipamentos públicos. Desde então, a Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim tem realizado diversas ações visando à recuperação do município.

No início da semana em que ocorreu a enchente, a prefeitura estabeleceu um gabinete de gestão de crise e monitorava a situação meteorológica, tendo em vista que as fortes chuvas daqueles dias já haviam provocado alagamentos no interior do município e enchentes em outras cidades da região. No dia 24 de janeiro, foi assinado o decreto de “Situação de Emergência” no município e, no dia 27, logo após o desastre natural, o decreto de “Estado de Calamidade Pública”.

A Defesa Civil Municipal emitiu comunicados de alerta para evacuação das áreas ribeirinhas nas primeiras horas do dia 25 de janeiro e providenciou a retirada de moradores em regiões de maior risco, como no distrito de Pacotuba. Após as ocorrências, uma força-tarefa, liderada pelo órgão, realizou 2.271 vistorias em imóveis afetados, na sede e no interior.

As famílias desabrigadas receberam acolhimento em locais providenciados pela administração municipal. Cerca de 25 toneladas de alimentos arrecadados foram distribuídas, além de itens de higiene, móveis, colchões e eletrodomésticos.

Com o Mutirão da Cidadania, foram feitos 3 mil atendimentos a pessoas que necessitavam da segunda via de documentos perdidos, dentre outros serviços. Também foi realizado o cadastro de 1.624 famílias no Cartão Reconstrução, benefício de R$ 3 mil concedido pelo governo estadual – 1.242 famílias já receberam, totalizando um valor de R$ 3,7 milhões.

Além disso, 2.831 consumidores receberam subsídio na conta de água do mês de maio, após aprovação de projeto de lei (desconto correspondente ao valor de consumo de 10 metros cúbicos) e prazo de pagamento do IPTU de imóveis atingidos foi prorrogado. A prefeitura também fez a mediação para a liberação do saque do FGTS de vítimas da enchente, em março.

Outra ação de destaque foi a ação contra hepatite A e outras doenças, tendo em vista a possibilidade de surgimento de doenças infecciosas em quem teve contato com água suja e lama.

Foto: Márcia Leal

Limpeza e recuperação de vias

Logo após a enchente, deu-se início à limpeza de ruas e de outros locais públicos, em mutirões e ações individuais, resultando na retirada de mais de 14 mil toneladas de entulho e lama. Também houve a recuperação de trechos danificados e de guarda-corpos no calçadão da avenida Beira Rio, em ponte e ruas do distrito de Conduru e na ponte Carim Tanure, no Centro.

Atualmente, estão sendo colocados os guarda-corpos definitivos na ponte João dos Santos Filho, que liga os bairros Baiminas e Independência. Posteriormente, serão colocados guarda-corpos definitivos na ponte de pedestres que serve de travessia entre a avenida Beira Rio, em frente à rua Pedro Dias (Guandu), e a rua Samuel Levy, no bairro Aquidaban – que está com estruturas provisórias de madeira.

A Prefeitura de Cachoeiro solicitou, ao Departamento de Edificações e Rodovias do Espírito Santo (DER-ES), a reconstrução da ponte da localidade de Usina São Miguel e da ponte de Cachoeira Alta, sobre o rio Fruteiras, ambas no distrito de São Vicente. As obras foram iniciadas neste mês de julho. O DER-ES também está responsável pelo projeto de reconstrução de outras duas pontes do distrito.

Economia

Para contribuir para a recuperação econômica de comerciantes afetados, a prefeitura deu apoio ao Bazar Solidário, evento que possibilitou que lojistas faturassem R$ 560 mil comercializando itens recuperados da enchente, e ao Feirão da Solidariedade, de venda de produtos novos com preços diferenciados (especialmente direcionados às famílias atingidas) , que resultou em 8 mil visitantes e R$ 900 mil de faturamento.

A Sala do Empreendedor da Prefeitura de Cachoeiro também ofereceu apoio a empreendedores no acesso a linhas emergenciais de microcrédito, resultando na liberação de mais de R$ 300 mil (somente na linha relacionada à enchente).

Ações em desenvolvimento

Cachoeiro ganhará um novo sistema de monitoramento e de alerta para cheias e inundações – está em fase de preparação do processo licitatório. Em junho, foi formado, no município, um grupo de trabalho com representantes da prefeitura, do setor empresarial e de outras instituições, para elaborar um plano de retomada econômica do município que, além da enchente, enfrenta, atualmente, a queda na atividade econômica decorrente da pandemia.

“Seis meses após a maior enchente da história de Cachoeiro, continuamos lidando com as consequências tanto da cheia do rio Itapemirim, quanto da pandemia de Covid-19. Talvez estejamos enfrentando um dos momentos mais desafiadores que nossa cidade já vivenciou, mas seguimos trabalhando com muita determinação”, destaca o prefeito Victor Coelho.

Últimas notícias