Contra a Covid-19

Policlínica vacina gestantes, pessoas com comorbidades e rodoviários na sexta (4)

O atendimento será feito das 8h às 12h, por demanda espontânea
Foto: Márcia Leal/PMCI

Nesta sexta-feira (4) de ponto facultativo nas repartições municipais de Cachoeiro, a Policlínica Bolívar de Abreu (Centro Municipal de Saúde) vai abrir, exclusivamente, para oferecer nova oportunidade de vacinação contra a Covid-19 a gestantes, puérperas (até 45 dias de pós-parto), pessoas com comorbidades e trabalhadores do transporte coletivo rodoviário de passageiros que ainda não tomaram a primeira dose do imunizante.

O atendimento será feito das 8h às 12h, por demanda espontânea, ou seja: não é necessário fazer agendamento. A Secretaria Municipal de Saúde ressalta que a vacinação é direcionada às pessoas de 18 a 59 anos desses públicos.

As gestantes precisam apresentar cartão de pré-natal ou exame que comprova a gestação, e as puérperas, a certidão de nascimento do bebê ou declaração de nascidos vivos, liberada pelo hospital.

Já as pessoas com comorbidades têm que apresentar laudo médico (de 2018 em diante) que comprove condição prevista no Plano Nacional de Operacionalização (PNO) da vacinação contra a Covid-19 – veja lista abaixo.

Os trabalhadores do transporte coletivo rodoviário, por sua vez, precisam apresentar uma declaração da empresa em que trabalham, como comprovante.

Em todos os casos é necessário apresentar, também, um documento de identificação (CPF, RG ou cartão SUS) e o cartão de vacina.

“É muito importante que as pessoas desses grupos prioritários aproveitem essa nova oportunidade e compareçam para iniciar o esquema vacinal, para que possamos avançar na cobertura da imunização contra a Covid-19. O sucesso da vacinação e de seus efeitos protetivos na sociedade dependem da ampla adesão dos públicos da campanha”, afirma o secretário municipal de Saúde, Alex Wingler.

Lista de comorbidades com base no PNO

GRUPO DE COMORBIDADESDESCRIÇÃO
Diabetes mellitusQualquer indivíduo com diabetes.
Pneumopatias crônicas graves Indivíduos com pneumopatias graves, incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave (uso recorrente de corticoides sistêmicos, internação prévia por crise asmática).
Hipertensão Arterial Resistente (HAR) HAR= quando a pressão arterial (PA) permanece acima das metas recomendadas com o uso de três ou mais anti-hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas preconizadas e toleradas, administradas com frequência, dosagem apropriada e comprovada adesão ou PA controlada em uso de quatro ou mais fármacos anti-hipertensivos.
Hipertensão arterial estágio 3PA sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg, independente da presença de lesão em órgão-alvo (LOA) ou comorbidade.
Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidadePA sistólica entre 140 e 179mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109mmHg na presença de lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade.
DOENÇAS CARDIOVASCULARES
Insuficiência cardíaca (IC);   Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar;   Cardiopatia hipertensiva; Síndromes coronarianas;   Valvopatias;      Miocardiopatias e PericardiopatiasIC com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York Heart Association. Cor-pulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária.  Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-alvo). Síndromes coronarianas crônicas (Angina Pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós Infarto Agudo do Miocárdio, outras). Lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico (estenose ou insuficiência aórtica; estenose ou insuficiência mitral; estenose ou insuficiência pulmonar; estenose ou insuficiência tricúspide, e outras). Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; cardiopatia reumática.
Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas; Arritmias cardíacas;  Cardiopatias congênitas no adulto;   Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados Aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos. Arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia associada (fibrilação e flutter atriais; e outras). Cardiopatias congênitas com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento miocárdico.  Portadores de próteses valvares biológicas ou mecânicas; dispositivos cardíacos implantados (marca-passos, cardio desfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência).
Doença cerebrovascularAcidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular.
Doença renal crônicaDoença renal crônica estágio 3 ou mais (taxa de filtração glomerular < 60 ml/min/1,73 m2) e/ou síndrome nefrótica.
ImunossuprimidosIndivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida; demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos 6 meses; neoplasias hematológicas.
Hemoglobinopatias gravesDoença falciforme e talassemia maior.
Cirrose hepáticaCirrose hepática Child-Pugh A, B ou C.