Confira as dicas

Procon de Cachoeiro alerta sobre os cuidados com aluguel por temporada

Consumidores devem exigir contrato e desconfiar de procedimentos suspeitos
Foto: Ilustrativa

Com a chegada do verão, muitas famílias cachoeirenses buscam casas no litoral para alugar. No entanto, o Procon de Cachoeiro adverte que é preciso tomar alguns cuidados para que as tão esperadas férias não virem um problema, já que, como em todo ramo, sempre podem existir golpistas que se aproveitam da boa-fé das pessoas.

Quem está pensando em alugar deve conferir as dicas preparadas pelo órgão de Defesa do Consumidor, que orienta os consumidores a nunca fecharem um acordo informal, sem contrato, e a redobrarem as atenções quando o negócio for feito via internet, que pode oferecer muitas facilidades e também facilitar a vida de golpistas.

Segundo o coordenador do Procon de Cachoeiro, Oswaldo Antônio de Souza, os aplicativos confiáveis de intermediação e contratação de aluguéis por temporada são, solidariamente, responsáveis por problemas com a locação, conforme o Código de Defesa do Consumidor. Então, podem ser um respaldo a mais para quem opta pelos canais virtuais. “Desconfie de ofertas que chegam por WhatsApp ou são compartilhadas em redes sociais, principalmente, pelo Facebook”, lembra.

Além disso, sempre que possível, vistorie o local antes. Se, na hora da chegada, as condições forem diferentes do prometido, o consumidor tem o direito de desistir do negócio e pegar o dinheiro, ou ficar no imóvel com abatimento do total pago. Se, mesmo com todos os cuidados, a pessoa perceber que caiu em um golpe, vale procurar uma delegacia próxima e registrar a ocorrência.

Desconfie:

1 – De casas oferecidas a valores bem mais baixos do que os de mercado. A maioria dos golpes são aplicados com casas incríveis e por um valor bastante acessível, o que atrai, facilmente, muitas pessoas que, interessadas em economizar, acabam perdendo dinheiro;

Verifique se o acordo prevê seguro para um eventual reparo urgente no imóvel durante a estadia. Imprevistos podem acontecer e talvez seja necessário contratar um profissional para lidar com o problema que esteja fora das cláusulas do contrato. O valor do serviço pode ser abatido das despesas do aluguel.

2 – De acordos informais. Todas as regras e normas acordadas entre o locador e o locatário devem estar no contrato. Mesmo que a locação do imóvel seja apenas para um final de semana, é bom fazer um, que sempre estabelecerá em quais condições gerais o imóvel está sendo alugado, o que evitará futuras dores de cabeça. Isso também serve como garantia no caso de se precisar iniciar um processo judicial por algum problema posterior.

3 – De pedidos de depósitos bancários em contas de terceiros. Muitos utilizam nomes falsos para realizar o anúncio e utilizam contas de “laranjas” para receber os valores. Portanto, se for depositar um valor de reserva, peça uma conta nominal do anunciante e o CPF do mesmo.

4 – De pedidos de dados de cartões, dados pessoais por e-mail. Tenha total atenção, também, a erros de português ou a anexos suspeitos.