Programa Criança Feliz acompanha 200 famílias em Cachoeiro

Equipe que faz acompanhamento das famílias participa de capacitação regularmente

Em Cachoeiro, já são 200 as famílias atendidas pelo programa Criança Feliz. Elas recebem, em casa, orientações sobre como estimular o desenvolvimento integral de crianças, da gestação aos seis anos de idade.

Por meio dessa iniciativa, que é uma parceria entre prefeitura e governos estadual e federal, equipes coordenadas pela Secretaria de Desenvolvimento Social de Cachoeiro (Semdes) realizam visitas domiciliares para repassar às mães ou responsáveis pelas crianças técnicas que podem melhorar a saúde, o bem-estar, a capacidade cognitiva e até o desempenho escolar delas.

O público da ação é formado por gestantes e crianças de até três anos de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família (com visita por semana) e por crianças de até seis anos de famílias beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada (BPC) – duas visitas semanais. Para realizar as visitas, a equipe de visitadores participa de capacitação regularmente.

Ariana Feliciano, de 27 anos, é assistida há dois meses pelo programa. Seus dois filhos estão sendo acompanhados pela equipe e, segundo ela, já é possível perceber a evolução no desenvolvimento das crianças.

“Hoje, meus dois filhos brincam mais, interagem mais com a gente. Depois que começamos a receber as visitas, os vejo mais estimulados e atentos. Temos usados os brinquedos que nos ensinaram a fazer com materiais reciclados. É uma alternativa interessante, não tem custo, porque utilizamos materiais que temos em casa. Estou muito satisfeita com essa atenção que recebemos, faz diferença para a gente e, principalmente, para eles”, diz Ariana.

De acordo com a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Márcia Bezerra, a meta do programa é ampliar para 500 o número de famílias atendidas. “É uma ação muito importante. Por isso, queremos ampliar o alcance dela. Além do desenvolvimento infantil, trabalhamos com as famílias o fortalecimento de vínculos e buscamos aproximá-las de serviços públicos nas áreas de saúde, educação, entre outras”, explica.