LABOR

Sala Levino Fanzeres abre 2021 com mostra fotográfica apresentada na Espanha

São registros do cotidiano dos pescadores artesanais da costa do Sul do ES
Foto: Julio Cesar Pires

A Sala de Artes Levino Fanzeres, em Cachoeiro, abriu a temporada 2021 de exposições em grande estilo. Nesta sexta-feira (15), foi lançada, com apoio da Lei Rubem Braga, a mostra LABOR, trabalho do fotógrafo cachoeirense Julio Cesar Pires que já circulou pela América Latina e que foi aclamado pela Universidade de Salamanca, na Espanha.

LABOR é resultado de um trabalho minucioso de cinco anos, em que o artista registrou o cotidiano dos pescadores artesanais da região costeira do Sul do Estado. As imagens representam de maneira inspiradora a vivência daqueles que dependem do mar para sustento de suas famílias.

O projeto ganhou grande destaque quando foi selecionado no programa de residência artística da Universidade de Salamanca, uma das maiores instituições da Europa, fazendo de Julio o único fotógrafo capixaba a ser contemplado nessa residência. A partir de então, foram sete exposições em seis países.

Além da Espanha, Labor viajou para as capitais do México, Peru, Argentina, Chile e Colômbia, onde foi exposta no Instituto de Cultura Brasil Colômbia e, também, na Konrad Lorenz University Foundation, se tornando a iniciativa cultural que mais promoveu a cultura dos pescadores artesanais capixabas fora do Brasil, com mais de 20 mil pessoas circulando nas exposições.

O fotógrafo cachoeirense explica que LABOR é um projeto muito especial, já que cada imagem reflete os anos de pesquisa e busca em torno da foto que de fato retratasse a alma dos pescadores da região.

“LABOR chega em casa depois de um intervalo de 5 anos da minha primeira exposição na Sala Levino Fanzeres. De lá para cá, tive a oportunidade de expor este trabalho e promover a cultura do meu Estado lá fora. Este projeto também me levou para a Universidade de Salamanca, na Espanha, onde cursei a residência artística e fiz minha primeira exposição na Europa. É um trabalho importante para minha formação como pessoa e fotógrafo”, explica Julio Cesar.

“É compensador saber que uma lei municipal de fomento à cultura, a nossa Lei Rubem Braga, proporcione ao cachoeirense uma produção de tamanha qualidade e beleza. A exposição Labor é um primor”, expressa a secretária de Cultura e Turismo de Cachoeiro, Fernanda Martins.

A exposição terá acesso limitado por conta dos protocolos para enfrentamento da Covid-19 e ficará em cartaz até o dia 5 de março. O público poderá conferir o trabalho de Julio Cesar Pires, de segunda a sexta-feira, sempre das 12h às 18h. A Sala Levino Fanzeres fica no térreo do Palácio Bernardino Monteiro, no Centro. O uso de máscaras de proteção é obrigatório.