Programação de verão

Sarau debateu inserção das mulheres no meio artístico

Roda de conversa contou com a paricipação de mulheres que atuam no cenário cultural cachoeirense
Foto: Divulgação/PMCI

Falar sobre os desafios da inserção feminina na literatura, no meio artístico e nos espaços públicos em geral. Esse foi o objetivo do sarau lítero-musical “Braganiano: as estrelas que nós amamos”, realizado na noite desta quinta-feira (16), na Casa dos Braga. Com mediação de Beatriz Fraga, especialista em literatura, quatro mulheres, com atuação no cenário cultural cachoeirense, participaram de uma roda de conversa a respeito do tema.

A primeira a dar seu depoimento foi Yasmin Giro, graduanda em História e ativista social. Ela falou sobre conquistas históricas incompletas das mulheres, como o direito ao voto a partir de 1934 – que não representou, na época, uma inserção efetiva das mulheres nas eleições – e as atuais cotas para candidaturas femininas nos pleitos eleitorais. “A chamada lei de cotas não é suficiente, mas tem, sim, eficácia comprovada. Temos que combater retrocessos”, completou.

Logo após, Neuza Silvestre, que foi servidora pública por 37 anos. Ela falou sobre sua experiência de trabalho na Biblioteca Pública Municipal. “Eu sempre vi, na biblioteca, muito mais autores masculinos do que femininos, apesar de as mulheres serem mais incentivadas a se expressarem emocionalmente. Nós também aprendemos a ler sob uma perspectiva masculina e eu, como leitora, passei a buscar uma perspectiva própria”, comentou Neuza, que é idealizadora do sarau “Braganiano” e do evento “LiteraNewton”, promovido, anualmente, em homenagem ao escritor Newton Braga.

A atriz e produtora cultural Amanda Malta, por sua vez, destacou casos de preconceito contra mulheres artistas. Falou de sua experiência com a montagem do espetáculo solo “Emily”, baseado na trajetória da poetisa Emily Dickinson (1830-1886). “Ela foi muito reprimida. Seu único poema publicado em vida foi apropriado por um jornalista homem. E foi, ao longo da pesquisa para a peça, que aprendi a reconhecer uma relação abusiva, por exemplo”, contou.

Fechando o ciclo da roda, a advogada, professora e escritora Tatiana Mareto falou de sua experiência escrevendo literatura de entretenimento. Ela é autora de 13 livros. “O mercado editoral é muito masculino e muito restrito, só há interesse em autores estrangeiros e em gente que já tem fama. Eu utilizo a autopublicação na internet, criando histórias em gêneros populares, que muitos até classificam como ‘de mulherzinha’ ou ‘de banca de jornal’, mas que invertem papéis tradicionais de gênero. A recepção tem sido muito melhor do que eu esperava”, afirmou.

Além da roda de conversa, o sarau contou com apresentação da cantora Amélia Barretto, acompanhada da violonista Alessandra Biato. No repertório, canções da MPB relacionadas ao tema do evento.

Acervo da Casa dos Braga

Outra atividade do sarau foi o lançamento de um livro com um inventário do acervo da Casa dos Braga, que ficará à disposição para pesquisa no Arquivo Público Municipal de Cultura – Sala Evandro Moreira. O trabalho foi realizado pela equipe do centro cultural, durante o segundo semestre de 2019, e resultou na catalogação de mais de 1 mil itens, incluindo livros, recortes de jornais e revistas e o mobiliário que faz parte da exposição permanente do local.

Verão 2020: Viva Cachoeiro de Itapemirim

O sarau desta quinta-feira faz parte da programação do projeto “Verão 2020: Viva Cachoeiro de Itapemirim”, organizado pela Secretaria Municipal de Cultura (Semcult) para oferecer atividades culturais e de lazer no município em janeiro. Na próxima quinta-feira (23), encerrando as atividades, haverá o evento “Cachoeiro canta o rei”, com apresentações em homenagem ao cantor Roberto Carlos. Na ocasião, haverá show com o grupo 028 Band.

“Cachoeiro tem uma riqueza cultural muito grande e eventos como sarau desta quinta-feira são muito importantes para potencializar essa característica do município. São atividades que nos enriquecem culturalmente, tocando em assuntos muito pertinentes, e que promovem a sociabilidade, o lazer e o bem-estar”, destaca a secretária municipal de Cultura e Turismo, Fernanda Martins.