Prevenção

Secretaria de Saúde orienta população sobre cuidados pós-enchente

Agentes de saúde percorrem comunidades mais afetadas para instruir moradores
Foto: Divulgação/PMCI

Moradores de Cachoeiro que tiveram casas ou estabelecimentos comerciais atingidos pela enchente do fim de semana devem adotar cuidados para evitar transmissões de doenças. É o que recomenda a Secretaria Municipal de Saúde (Semus).

Para se prevenir da leptospirose, doença causada por uma bactéria presente na urina do rato que, normalmente, espalha-se pela água suja da enchente, é importante utilizar equipamentos como botas e luvas.

No retorno à casa ou loja, é importante entrar com cautela e conferir se animais peçonhentos estão presentes no local. Não se deve colocar as mãos em buracos ou frestas, mas usar ferramentas como enxadas, cabos de vassoura e pedaços compridos de madeira para mexer nos móveis.

No contato com entulhos e destroços, a atenção deve ser redobrada, pois eles podem provocar lesões na pele, e, consequentemente, o adoecimento por tétano acidental.

A caixa d’agua deverá ser limpa, caso o sistema de abastecimento de água ou o recipiente tenham sido afetados.

Se afetada, a água para consumo pode causar diarreia, hepatite tipo A, leptospirose, entre outras doenças. Para que isso não aconteça, procure filtrar e ferver a água por 5 minutos antes de beber. Caso observe alguma alteração no odor ou na coloração, é importante que entre em contato com a empresa responsável pela distribuição ou com a Semus.

Em relação aos alimentos, é necessário analisar as condições antes de consumir. Alimentos com cheiro e cor alterados, úmidos, mofados, murchos ou os que entraram em contato com a enchente – mesmo embalados – devem ser descartados. Já os industrializados e embalados em vidro, lata e caixa “longa vida” que não estejam danificados, podem ser reaproveitados após higienizados com água e Hipoclorito de Sódio (2,5%).

Antes e depois de preparar alimentos, manusear objetos sujos ou utensílios, é essencial lavar as mãos com água e sabão.

“Nossos agentes comunitários de saúde estão nas comunidades mais afetadas para orientar moradores sobre os cuidados indispensáveis para prevenir problemas de saúde. Servidores da Vigilância sanitária também estão em campo, atuando na orientação aos comerciantes”, afirma a secretária municipal de Saúde, Luciara Botelho.