Procon orienta

Transporte escolar: confira os cuidados na hora de contratar o serviço

Com a proximidade do retorno às aulas, muitos pais estão em busca de empresas de transporte escolar para os filhos. Nessa hora, adverte o Procon de Cachoeiro, é preciso tomar alguns cuidados para fazer a escolha mais adequada e evitar problemas na contratação.

A primeira orientação é a de se certificar de que, no contrato com o prestador do serviço, conste tudo o que for combinado entre as partes, como: período de vigência; horário e endereço de saída e chegada; valor da mensalidade; data e forma de pagamento; índice e forma de reajuste; percentual de multa e encargos por atraso no pagamento e condições para rescisão antecipada.

Também é importante observar se o serviço é cobrado durante os meses de férias (pode ser negociado um abatimento, por exemplo) ou se pode ser prestado fora dos meses normais (em caso de recuperação do aluno).

Em caso de falta do aluno, o desconto proporcional no preço é uma questão a ser acordada entre as partes. Entretanto, se houver algum problema com o veículo ou com o próprio condutor, o serviço deverá ser prestado por meio de outra condução com as mesmas normas de segurança.

Para o cancelamento do contrato, o pedido deve ser feito por escrito, com cópia protocolada, atentando-se para as condições acordadas na contratação.

“Antes mesmo de firmar contrato, os pais devem buscar referências sobre a empresa com outras pessoas que já tenham utilizado o serviço e junto à escola. Também devem conferir as condições de higiene, conforto, segurança dos veículos, se há um cinto de segurança para cada ocupante, se as janelas não abrem mais de que 10 cm e se há outro adulto acompanhando as crianças, além do motorista”, aconselha o coordenador do Procon de Cachoeiro, Fabiano Pimentel.

Medidas contra a Covid-19


Também é necessário observar, alerta o coordenador, se as medidas anticovid-19 estão sendo adotadas pela empresa. Além de se evitar aglomerações; é necessário que haja constante higienização dos carros a cada viagem e turno realizados; as janelas precisam ficar abertas; é obrigatória a utilização de máscaras pelos alunos e funcionários e, também, é preciso estar disponível, para os passageiros, álcool 70% para limpeza das mãos.