Temporário

Vacinação contra Covid-19 em puérperas é interrompida em Cachoeiro

Interrupção é para o imunizante da Fiocruz, seguindo orientação do Ministério da Saúde
Foto: Márcia Leal/PMCI

A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) interrompeu, temporariamente, nesta quarta-feira (12), a vacinação contra Covid-19 em puérperas (mulheres que deram à luz há pouco tempo) com o imunizante Covishield/Fiocruz (Oxford/AstraZeneca). A medida segue determinação do Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde.

Gestantes também não serão mais vacinadas – ao menos por enquanto – com a vacina da Fiocruz, conforme já havia sido determinado nesta segunda-feira (11).

De acordo com o Plano Nacional de Imunizações, a vacinação em gestantes e puérperas com comorbidades deverá prosseguir com as outras vacinas disponíveis no país (Coronavac e Pfizer), mediante comprovação da condição de comorbidade. Entretanto, Cachoeiro não recebeu, nas últimas semanas, remessas dessas duas vacinas direcionadas a esse público.

Em relação ao cumprimento do esquema vacinal para as gestantes e puérperas que já foram vacinadas com a primeira dose da Covishield, o Ministério da Saúde afirma que orientações detalhadas serão emitidas em Nota Técnica pelo Programa Nacional de Imunizações.

“Estamos seguindo à risca as orientações federais e estaduais. Essa é uma medida de precaução. Ainda está sendo investigado se evento adverso em uma gestante do país tem ou não relação com a vacina Covishield. Todas as informações serão repassadas no devido tempo. Pedimos tranquilidade à população”, destaca o secretário municipal de Saúde, Alex Wingler.

Vale destacar que a aplicação da Covishield nos demais grupos prioritários da campanha segue normalmente.

Orientações para quem tomou a vacina

A Semus orienta que todas as gestantes e puérperas que sentirem algum tipo de sintoma ou efeito adverso, depois de terem tomado a vacina contra a Covid-19, procurem uma Unidade Básica de Saúde (UBS) ou pronto atendimento.

“Novamente, destacamos que esse procedimento é por precaução. Considerando as condições de risco para essas mulheres por conta da gestação, é preciso redobrar os cuidados”, explica o secretário municipal de Saúde.