635 casos

População deve aproveitar isolamento social para combater a dengue

Motos 'fumacê' continuam percorrendo bairros e distritos
Foto: Divulgação/PMCI

Em meio à crise pandêmica causada pelo novo coronavírus (covid-19), a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Cachoeiro de Itapemirim alerta a população para não se esquecer dos perigos causados pelo Aedes aegypti, mosquito transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya.

Segundo dados da Semus, neste primeiro trimestre, foram confirmados 635 casos de dengue e 105 de chikungunya. Também foram notificados 20 casos suspeitos de zika.

Diante desse cenário, a secretaria ressalta a importância de cuidados no combate ao inseto vetor, que podem ser colocados em dia, em casa, no período de isolamento social.

Como a reprodução do mosquito é possível em água parada, tanto limpa quanto suja, é importante que haja eliminação de tudo que possa servir de recipientes, como pneus sem uso, potes e outros objetos. Além disso, também é preciso cobrir caixas d’água e fechar ralos pouco utilizados com plástico ou, duas vezes por semana, jogar água sanitária nesses espaços.

Outras medidas são: manter as calhas limpas, colocar garrafas de vidro vazias sempre viradas de cabeça para baixo e deixar as lixeiras bem tampadas. Também é necessário descartar, corretamente, copos plásticos, embalagens, garrafas pet, tampinhas, sacolas plásticas e latas, para que não se tornem criadouros do Aedes aegypti.

“É muito importante que os moradores se atentem também para essas doenças, que costumam causar muitos transtornos. Sabemos que a pandemia do coronavírus tem alarmado a população, mas não podemos deixar de ficar atentos, também, aos problemas que o mosquito Aedes aegypti pode causar. É uma luta que não pode ser interrompida e que exige a colaboração de todos”, ressalta a secretária de Saúde de Cachoeiro, Luciara Botelho.

Agentes de combate a endemias percorrem bairros

Durante a primeira semana de isolamento social para prevenir a propagação da covid-19, os agentes de combate a endemias de Cachoeiro trabalharam em regime de plantão, visitando os bairros onde a indecência de focos do Aedes aegypti é maior.

Na próxima semana, as equipes percorrerão mais sete bairros: Coramara, Santo Antônio, Aquidaban, União, Maria Ortiz, Ferroviário e Rubem Braga.

A Semus ressalta a importância do trabalho dos agentes de combate a endemias na eliminação de possíveis focos de mosquitos. Por isso, incentiva que a população receba o profissional em suas residências, para verificação da área externa e de possível receptáculos do inseto. Isso porque, de acordo com a Vigilância Ambiental do município, 76% dos focos do mosquito Aedes aegypti encontrados pelos agentes estavam em residências.

Além do trabalho dos profissionais de combate a endemias, as motos ‘fumacê’ estão circulando normalmente, seguindo o cronograma e o itinerário estabelecido para este mês e para o início de abril.