Pandemia

Cachoeiro receberá mais recursos para atendimento a pessoas em situação de rua

Ações direcionadas ao público foram intensificados desde o início da pandemia
Foto: Márcia Leal/PMCI

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes) receberá mais recursos para ampliar a capacidade de atendimento social a pessoas em situação de rua, em Cachoeiro, durante a pandemia de Covid-19. O governo estadual repassará R$ 376,2 mil para a realização de ações em três meses, em um projeto-piloto que também será aplicado em Cariacica e Vila Velha.

A solenidade de oficialização do projeto, inicialmente, disponibilizado a seis municípios capixabas de grande porte que manifestassem interesse, foi realizada na manhã desta terça-feira (7), por videoconferência. O repasse deverá ser concretizado nas próximas semanas. Para ter acesso aos recursos, a Semdes teve de elaborar um plano de trabalho e atender às condicionantes do governo estadual.

A verba será utilizada para garantir a ampliação da capacidade de atendimento do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop – Espaço Vida), de 66 para 99 pessoas por mês; extensão do horário de atendimento do Centro Pop para o período noturno (já funcionando das 8h às 20h, de segunda a sexta-feira), disponibilizando quatro alimentações diárias; entrega semanal de kit de higiene para os usuários e garantia da manutenção de oito vagas para pessoas com sintomas de Covid-19 em um abrigo temporário.

Desde o início da pandemia, a Semdes tem intensificado o trabalho social junto às pessoas em situação de rua. O Centro Pop já realizou 378 atendimentos nesse período. A oferta de abrigo especial para pessoas com sintomas de Covid-19 teve início no dia 25 de maio – chegou a abrigar oito. Outras 35 pessoas foram acolhidas na Casa de Passagem “Santa Tereza de Calcutá”, mantida pela Cáritas Diocesana.

Além dos recursos do governo estadual, a Prefeitura de Cachoeiro também recebeu R$ 803.460 do governo federal para ações de assistência social durante a pandemia. O valor está sendo utilizado para a compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para servidores; aquisição de alimentos para lares de longa permanência de idosos e manutenção de vagas em instituições de acolhimento para pessoas em vulnerabilidade social – incluindo população em situação de rua.

“Neste momento em que as vulnerabilidades sociais se tornam mais evidentes, esse projeto tem uma importância enorme. Nós acreditamos tanto nele que iniciamos o abrigo para pessoas sintomáticas ainda em maio. A abordagem social para sensibilizar a população em situação de rua sobre a pandemia tem dado resultado”, destacou a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Márcia Bezerra.