Projeto Libras Kids

Alunos de escola municipal iniciam aulas de Língua Brasileira de Sinais

Atividade foi iniciada nesta terça (6), na escola “São Francisco de Assis”
Foto: Márcia Leal/PMCI

A Secretaria Municipal de Educação (Seme) de Cachoeiro retomou, nesta terça-feira (6), o projeto “Libras Kids”, um curso sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras) voltado aos estudantes de rede pública municipal de ensino.

Neste ano, a primeira escola a participar da atividade é a “São Francisco de Assis”, que receberá as aulas de Libras até outubro deste ano.

Professores da Coordenação de Educação Especial ministrarão as atividades para as turmas de 1º ao 5º ano do ensino fundamental. Serão, ao todo, serão 16 aulas.

O projeto visa à inclusão no âmbito escolar, ao possibilitar a interação entre os alunos ouvintes e os estudantes surdos, pelo ensino da segunda língua de sinais oficial do país, respeitando a Lei de Diretrizes e Bases da Educação.

Os estudantes terão a oportunidade de dialogar e aprender o alfabeto datilológico, o reconhecimento por sinais, sinais básicos de saudações, agradecimentos, cores, família, animais, sinais básicos do ambiente escolar, sinais de verbos e sentimentos.

“Eu gostei muito da aula, eu achei muito diferente porque nunca tive uma aula assim, vamos aprender muito, é uma forma de comunicação muito importante”, disse o aluno do 5º ano da “São Francisco de Assis”, João Pedro Correia Lobo.

O Libras Kids teve início no ano de 2019, com atividades para turmas de 5º ano das escolas “Jenny Guardia” e “Galdino Theodoro da Fonseca”. Em 2020, não pôde ser realizado, em função da suspensão das aulas presenciais decorrente da pandemia.

A Seme estuda estender o projeto a outras unidades de ensino ainda neste ano.

“Ensinar Libras para as crianças na escola é uma oportunidade para apresentar, ainda na infância, o valor da inclusão e da aceitação das pessoas como elas são, sem um olhar de preconceito ou de exclusão. Ao ensinar a Língua Brasileira de Sinais para nossos estudantes, temos como principal objetivo promover essa forma de comunicação, levando-os a aprender sobre a cultura surda e, sobretudo, sobre a possibilidade de se comunicar com seus pares diferentes, valorizando a diversidade no ambiente escolar”, destaca a secretária municipal de Educação, Cristina Lens.