Vazão em dias de chuva

Prefeitura realiza desassoreamento de córrego em Santa Fé de Baixo

Assoreamento do córrego provocava inundações constantes
Foto: Divulgação/PMCI

A Secretaria Municipal de Agricultura e Interior (Semai) de Cachoeiro de Itapemirim realizou o desassoreamento do córrego que passa na localidade de Santa Fé de Baixo. O serviço foi realizado no fim do mês passado.

Nos últimos anos, o córrego estava tomado por terra e vegetação. Isso impedia que a água da chuva tivesse vazão, causando inundações em cima da ponte da comunidade, que faz parte da rodovia BR 193 (Cachoeiro X Muqui).

“Os carros não conseguiam passar em nenhum sentido quando tinha chuva forte. Depois que a água baixava, ficava muita lama na estrada, o que era muito perigoso. Agora está muito bom, mesmo com chuva, não alaga. Era uma reivindicação antiga, estamos muito felizes”, relata o presidente da Associação de Moradores de Santa Fé de Cima, José Antonio Fiori.

A Semai utilizou maquinário para retirar a terra e desobstruir o curso d’água. “Fizemos um serviço com impacto muito significativo, que atende a uma reivindicação da comunidade e beneficia todos aqueles que trafegam pela região. Também já fizemos esse trabalho em outros locais, procuramos atender às demandas dentro do nosso alcance”, destaca o secretário municipal de Agricultura e Interior, Robertson Valladão.

Situação do córrego antes do desassoreamento: curso d’água estava tomado por terra e vegetação

Outros serviços no interior

Outro trabalho importante da Semai é a manutenção de estradas rurais, como as das localidades de Furquilha, no distrito de Burarama (11 quilômetros), de Boa Vista, no distrito de São Vicente (6 quilômetros), e a estrada de Itaoca, que serve como alternativa de acesso a São Vicente (7 quilômetros). Esse serviço deverá ser finalizado neste mês de dezembro, junto à pavimentação com revsol da estrada de Moitãozinho (2 quilômetros).

Também estão avançando as ações de reconstrução da Ponte do Avelar e da ponte de Usina São Miguel, no distrito de São Vicente, destruídas na enchente de janeiro. A expectativa é de que as obras, de responsabilidade do Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES), sejam concluídas no início do ano que vem.

Últimas notícias