Até setembro

Samu 192 de Cachoeiro já realizou mais de 8,4 mil atendimentos

Base do serviço fica no bairro Baiminas e atende, também, outros municípios da Região Sul
Foto: Márcia Leal/PMCI

Desde o início de suas atividades, em março de 2021, até o fim de setembro deste ano, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) de Cachoeiro Itapemirim já realizou mais de 8,4 mil atendimentos aos moradores do município, entre envios de ambulância e orientações remotas.

Com uma frota de quatro veículos, sendo três de suporte básico e um, para assistência avançada, o serviço realiza procedimentos de salvamentos em situações de urgências das mais diversas naturezas, como: mal súbito, surto psiquiátrico, convulsões, acidentes de trânsito e, até mesmo, partos de emergência. 

Em Cachoeiro, a base do serviço fica no bairro Baiminas, instalada junto à Central de Ambulâncias da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), de onde partem as ambulâncias para prestar socorro à população.

“A principal missão do Samu 192 é fazer com que os procedimentos de salvamento em urgência e emergência sejam iniciados, o mais rápido possível, para estabilizar a situação do paciente até que o mesmo seja transportado a um hospital ou unidade de pronto atendimento. É um trabalho importantíssimo para a rede de saúde do município, que já salvou muitas vidas”, destaca Alex Wingler, secretário municipal de Saúde.

Além de Cachoeiro, o Samu 192 também atende a outras cidades da Região Sul e é operado por uma empresa contratada pelo Consórcio Público da Região Polo Sul (CIM Polo Sul), por meio de processo licitatório. O financiamento é tripartite, com divisão entre União, Estado e Município. 

Veja quando chamar o Samu 192- em casos de

  • problemas cardiorrespiratórios;
  • intoxicação exógena e envenenamento;
  • queimaduras graves;
  • maus tratos;
  • trabalhos de parto, em que haja risco de morte da mãe ou do feto;
  • tentativas de suicídio;
  • crises hipertensivas e de dores no peito de aparecimento súbito;
  • acidentes/traumas com vítimas;
  • afogamentos;
  • choque elétrico;
  • acidentes com produtos perigosos;
  • suspeita de infarto ou AVC (alteração súbita na fala, perda de força em um lado do corpo e desvio da comissura labial são os sintomas mais comuns);
  • agressão por arma de fogo ou arma branca;
  • soterramento, desabamento;
  • crises convulsivas;
  • transferência inter-hospitalar de doentes graves;
  • outras situações consideradas de urgência ou emergência, com risco de morte, sequela ou sofrimento intenso.

Quando não chamar o Samu 192

  • febre prolongada;
  • dores crônicas;
  • vômito e diarreia;
  • transporte de pacientes para consulta médica ou para realização de exames;
  • transporte de óbito;
  • dor de dente;
  • transferência sem regulação médica prévia;
  • trocas de sonda;
  • corte com pouco sangramento,
  • entorses;
  • cólicas renais;
  • transportes inter-hospitalares de pacientes de convênio;
  • todas as outras situações que não se caracterizem como urgência ou emergência médica.

IMPORTANTE: Nesses casos e em todos os casos sem caracterização de urgência ou emergência, o paciente poderá ser encaminhado ao posto de saúde ou, então, às Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) mais próximas.