Situação de rua

Usuários do Centro Pop de Cachoeiro relatam ajuda oferecida pelo espaço

O espaço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h
Foto: Márcia Leal/PMCI

“Depois que comecei frequentar o Centro Pop, minha vida está melhorando, as pessoas estão me ajudando, estou me levantando”. Esse é o depoimento de Rodrigo Militão da Silva, uma das pessoas assistidas pelo “Espaço Vida”, Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop) de Cachoeiro.

Rodrigo, que tem 43 anos, conta que recebe ajuda com alimentação e é muito bem tratado. Além disso, conseguiu alugar uma casa, faz alguns serviços e continua frequentando o Centro Pop para continuar se reerguendo. “As pessoas da assistência social e psicologia estão me acompanhando neste processo”, explica.

O espaço, coordenado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes), atende pessoas em situação de rua, oferecendo diversos serviços. Muitos que frequentam o local se emocionam ao lembrar de toda ajuda oferecida pelos funcionários. É o caso da Ana Paula Miranda, de 40 anos, que foi atendida com o marido e descobriu uma gravidez.

“Quando descobri que estava grávida, o Centro Pop me ofereceu total apoio com o pré-natal. Além disso, ajudou o meu marido a conseguir emprego e a retirar a segunda via dos seus documentos. Hoje, ele trabalha com carteira assinada, alugamos nossa casa e nosso filho, saudável, tem cinco meses. Agradeço muito às pessoas que trabalham lá e que não desistiram da gente”, conta.

Além disso, Ana Paula é uma das que conseguiram o benefício do Aluguel Social, auxílio assistencial do governo federal, por meio do repasse de um valor estabelecido que deve ser utilizado para o aluguel de um imóvel, até que a família consiga um novo lugar para morar.

O sentimento de gratidão é comum entre os assistidos e fica explícito quando Julienes, de 40 anos, conta da ajuda que recebe. “Eu tenho problema de saúde, tomo remédio e o Centro Pop me ajudou a chegar até aqui, pois podemos comer e descansar. Esse local me auxilia também com documentação e tem mudado a minha vida”, afirma.

De acordo com a Semdes, em 2020, o Centro Pop realizou, em média, 200 atendimentos por mês. Também foram concedidas 52 passagens de ônibus para reinserção familiar em outro município ou estado.

Pandemia

Para o acolhimento a pessoas em situação de rua durante a pandemia, o Governo do Espírito Santo destinou, em 2020, R$ 379.339,32, valor a ser utilizado para atendimentos e aluguel de abrigo provisório para pessoas nessas condições que apresentam sintomas gripais. Pelo menos, 28 pessoas foram acolhidas no abrigo provisório.

Centro Pop

O Centro Pop funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. A unidade, localizada na rua Deodoro da Fonseca, nº 98, no bairro Independência, é um ponto de apoio para pessoas que, conforme a Política Nacional para a População em Situação de Rua, vivem em espaços públicos por pobreza extrema, por vínculos familiares fragilizados ou rompidos e por não terem moradia convencional regular.

No Espaço Vida, os assistidos têm acesso a acompanhamento e atendimentos individuais e coletivos com assistente social, psicólogo, terapeuta ocupacional e pedagogo, além de locais para alimentação, higiene pessoal, limpeza de roupas e guarda de pertences.

Funcionamento

A unidade pode ser acessada de forma espontânea; por encaminhamento do Serviço Especializado em Abordagem Social; por outros serviços da Assistência Social ou de política pública; ou por órgãos do Sistema Judiciário.

“Já para pernoite, os usuários são encaminhados para a Casa de Passagem ‘Santa Tereza de Calcutá’, mantida pela Cáritas Diocesana, com apoio da Semdes, que fica no bairro Marbrasa”, explica a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Márcia Bezerra