Filha de Newton Braga

Luto oficial pelo falecimento de Marília Braga

Marília participou ativamente das ações de celebração dos 110 anos de seu pai, em agosto deste ano
Foto: Márcia Leal/PMCI

O prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor Coelho, decretou luto oficial de três dias pelo falecimento de Marília Braga, filha da artista plástica Isabel Cúrcio Braga e do escritor Newton Braga, uma das mais destacadas personalidades da história do município. Ela se sentiu mal neste sábado (4) e foi levada para um hospital no Rio de Janeiro, onde faleceu no início da manhã deste domingo (5).

Nascida em 17 de maio de 1940, Marília é a segunda dos três filhos do casal Braga. Ela morou por cerca de 20 anos nos Estados Unidos, tendo sido uma grande estudiosa da vida de Eleanor Roosevelt, ex-primeira-dama do país norte-americano, que se destacou por seu trabalho em defesa dos direitos humanos.

Junto aos irmãos Edson e Rachel, Marília participou, em 2011, da edição do livro “Newton Braga, Cachoeirense Ausente”, em comemoração ao centenário do escritor. Recentemente, compilou todas as poesias do pai, da década de 20 à década de 60, trabalho que resultou em um livro, com previsão de lançamento para 2022. Também havia iniciado o resgate do acervo de Isabel Braga, que seria exposto em outra obra.

Marília participou ativamente das ações de celebração dos 110 anos de seu pai. Em agosto, ela e sua irmã Rachel estiveram em Cachoeiro para a inauguração da exposição “Newton Braga entre seus amores”, na Casa dos Braga, e para a recolocação do busto de Newton na parte central da praça Jerônimo Monteiro.

“Esta praça é como se fosse o quintal de minha casa. Eu cresci aqui, estudei no Bernardino Monteiro; nós vimos Cachoeiro crescer. E meu pai fez parte disso. Ele amava essa cidade. Por isso, ver o busto dele voltando para seu local de pertencimento e recebendo o reconhecimento que merece, enche meu coração de gratidão”, afirmou na ocasião.

Marília Braga deixa um filho.